Gene ajuda a identificar risco de psicose entre usuários

Pesquisa feita por cientistas britânicos é voltada para a prevenção e tratamento de psicose causada por cannabis

É um velho fantasma que sempre atormenta a vida do usuário de cannabis: a de que ela pode desencadear um processo de psicose. Apesar de apenas 1% desenvolver esta patologia (que também pode ser desencadeada pelo álcool e outras substâncias), o risco existe. Mas talvez por pouco tempo.

Um novo estudo feito sobre o assunto por cientistas britânicos, da Universidade de Exeter e da University College London (UCL), encontrou um gene que pode ajudar a identificar se um usuário é suscetível ou não a esta patologia. O estudo foi publicado na última edição da revista científica Translational Psychiatry, da Nature.

Uma pesquisa anterior havia determinado uma ligação entre o gene AKT1 e pessoas que já haviam desenvolvido psicose. No novo estudo, foi descoberto que jovens com uma variação no gene AKT1 experimentam distorções visuais, paranoia e outros sintomas psicóticos de forma mais acentuada quando estão sob influência da maconha.

Mulheres e memória

O estudo também mostra que as mulheres que fumam maconha podem ser potencialmente mais suscetíveis que os homens à perda de memória de curto prazo provocada pela droga.

Fonte: Estadão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *