Maioria dos extratos vendidos online especifica teor errado de CBD

Levantamento feito por universidade dos EUA revelou que 70% dos produtos especificam erradamente teores de canabidiol, para mais ou para menos.




Um levantamento feito pela Universidade da Pensilvânia, nos EUA, identificou que cerca de 70% dos produtos a base de canabidiol (CBD), vendidos online, não tem as mesmas quantidades do canabinoide indicadas nos rótulos, o que traz prejuízo ou risco aos seus consumidores.

+ Atletas poderão usar CBD a partir de 2018

O estudo comparou e analisou 84 produtos à base de CBD, de 31 companhias diferentes, que vendem pela internet, e descobriu que mais de 42% dos produtos estavam “sub-rotulados”, o que significa que o produto possuía maior concentração de CBD do que o indicado.

Outros 26% dos produtos estavam ‘sobre-rotulados’, o que significa que tinham menor concentração de CBD que o indicado. Apenas 30% deles continha, de fato, um conteúdo que estava dentro de 10% da quantidade listada no rótulo.

Segundo o estudo, esta falta de controle estaria ligada a uma ausência de regulação e supervisão adequadas dos produtos – apesar de a maconha ser legalizada para uso medicinal em muitos estados do país.

“O problema, com isso não sendo algo legal em âmbito federal, é que a qualidade necessária não é garantida sob a supervisão da FDA (a administração de alimentos e drogas dos EUA). Não há padrões atualmente para a produção, testagem ou rotulação desses óleos,” disse Marcel Bonn-Miller, professor assistente e autor principal no estudo. “Mas se você compra uma barra de chocolate de uma marca famosa, sabe que foi verificada; quantas calorias têm, os ingredientes e a quantidade deles”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *