Mike Tyson: dos ringues para os campos (de maconha)

Polêmico ex-campeão mundial de boxe comprou um rancho na Califórnia para investir em um grande cultivo.

Ícone não só do boxe como do esporte em geral, o pugilista norte-americano Mike Tyson marcou os anos 1980 com muita radicalidade dentro e fora dos ringues. Depois de mordidas na orelha, e condenações por diversos motivos, agora parece ter visto a luz. Ou melhor, a fumaça. Isso porque anunciou, logo no início deste ano, que vai investir em cannabis nos próximos anos.

+ Atletas poderão usar CBD a partir de 2018

O cultivo de Tyson e seus dois sócios será um rancho na Califórnia, nos Estados Unidos, que legalizou recentemente o uso social. Denominado como “Rancho Tyson”, o local fica no meio do deserto do estado norte-americano e possui mais de 160 mil metros quadrados, o equivalente a 22 campos de futebol.

Além da área de cultivo, o rancho contará com um local de extração, uma fábrica e um anfiteatro, onde serão realizadas palestras sobre os avanços dos estudos da cannabis.

A história de Mike Tyson no boxe começou a crescer em 1981, com 15 anos, quando se tornou campeão juvenil de boxe dos Estados Unidos. Em 1986, com 20 anos, se tornou o pugilista mais jovem a conquistar o título mundial dos pesos pesados pelo Conselho Mundial de Boxe (WBC). No ano seguinte, conquistou mais dois títulos mundiais, um da Federação Internacional de Boxe e outro da Associação Mundial de Boxe. Depois de ficar três anos preso por estuprar uma concorrente do Miss Black America, o pugilista voltou em 1995, mas nunca mais voltou a ser campeão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *