Na Itália, deputados aprovam uso de cannabis medicinal

Projeto agora será analisado pelo Senado. Na prática, será permitido a produção de remédios com canabinoides no país, mas pacientes ainda não poderão plantar

Em uma polêmica votação, prometida desde o ano passado, a Câmara dos Deputados da Itália aprovou projeto de lei que autoriza o uso de maconha para fins medicinais.  Agora, o projeto precisa ser votado no Senado.

+ Coronel cultiva 100 pés de maconha na Itália

Na Câmara, a medida recebeu 317 votos favoráveis e 40 contrários. Na verdade, o que muda neste país com este projeto é a oficialização da produção de cannabis pelo Estado com fins medicinais – a importação de medicamentos já era permitida.

O ponto fraco do projeto é que estabelece um limite de tempo de tratamento com cannabis, de três meses. Outro ponto fraco é que não trata de autocultivo por parte dos pacientes – só o Instituto Químico, Farmacêutico e Militar de Florença, ligado ao Exército, poderá cultivar. Os fármacos serão de responsabilidade do Serviço Sanitário Nacional.

O projeto estabelece critérios nacionais para a administração da cannabis no tratamento de doenças, garantindo aos pacientes equidade no acesso à erva, além de promover pesquisas científicas sobre as possibilidades de uso da planta.

Atualmente, o cultivo da maconha é proibido na Itália até para fins terapêuticos, e todas as iniciativas para flexibilizar a legislação não conseguiram avançar no Parlamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *