CANCAN

Cânhamo (hemp) é como é chamada a fibra extraída da maconha, considerada uma das mais resistentes do mundo, e mais baratas de produção. É usado principalmente na industria têxtil e de celulose. No entanto, o mercado tem gerado uma gama de produtos atualmente que fogem a estas áreas, como, recentemente, na construção civil, onde, por meio de uma nova tecnologia, o cânhamo tem substituído o concreto na construção de casas e prédios.

Estudos indicam que o cânhamo também pode ser usado no lugar do grafeno na produção de baterias. O cânhamo é extraído geralmente de pés de maconha da espécie ruderalis. São plantas de pequeno porte, praticamente sem THC. Outros canabinoides, como o CBD, aparecem em pequena escala.

Vale lembrar que a produção de cânhamo é proibida no Brasil.

Mercados do cânhamo

Têxtil: A utilização do cânhamo para a produção de tecidos já ocorre há séculos. Já foi mais do que divulgado, mas vale lembrar, que as velas das caravelas de Pedro Álvares Cabral que aportaram na Bahia em 1500 eram produzidas com fibras da maconha. Inclusive, Portugal, no século XVIII, teve plantações de maconha para extração de cânhamo no Sul do Brasil. No entanto, hoje em dia pode-se encontrar de tudo, desde tênis até roupas. Por ser cinco vezes mais resistente que o algodão, o cânhamo também é muito usado na fabricação de cordas e amarras de navios.

Fibras de cânhamo, usadas na indústria têxtil Reprodução / Internet)
Fibras de cânhamo, usadas na indústria têxtil (Reprodução / Internet)

Celulose: No mercado dominado pelos eucaliptos, o cânhamo começa a ganhar espaço devido às suas inúmeras vantagens. Sabe-se que um hectare de cannabis produz a mesma quantidade de celulose que produz quatro hectares de eucalipto. Além disso, o tempo de crescimento de uma cannabis ruderalis é de cerca de quatro meses, enquanto que o eucalipto pode demorar mais de 10 anos.

Alimentação: A semente de cânhamo é composta por óleos comestíveis, contendo muitos ácidos graxo essenciais, como linoleico, ômega-6 e ômega-3. Proteínas, incluindo a edestina, são o segundo principal componente das sementes e ainda assim perdem apenas para soja em sua concentração (33%).  Os aminoácidos da semente de cânhamo são quase tão “completos” quanto fontes comuns de proteínas, tais como o trigo, o leite, os ovos e a soja. A proteína do cânhamo contém todos os 20 aminoácidos conhecidos, incluindo os nove essenciais que os indivíduos adultos não podem produzir.

Por isso,  estas sementes podem ser ingeridas cruas, preparadas junto de outros alimentos, germinadas, transformadas em leite de cânhamo, usadas no chá e podem ser usadas para cozinhar. Vários produtos do mercado internacional já incluem estas sementes, como cereais, waffles, farinhas, bolos, suplementos em pó, cereais orgânicos, leite e até mesmo sorvete.

Barras de cereais com sementes de cânhamo Reprodução / Internet)
Barras de cereais com sementes de cânhamo (Reprodução / Internet)

Cosméticos: Os óleos extraídos das sementes são muito usados na indústrias de cosméticos como base para cremes, xampus, óleos hidratantes, etc.

Linha de produtos da Body Shop à base de cânhamo Reprodução / Internet)
Linha de produtos da Body Shop à base de cânhamo (Reprodução / Internet)

Combustível: Do cânhamo, é possível se extrair metanol, que pode ser usado como combustível ou na produção de outros. Atualmente, o metanol disponível no mercado é retirado do gás natural e de combustíveis fósseis.

Construção: O cânhamo tem sido considerado uma ótima matéria prima para a produção de concreto ecológico. Apesar da origem vegetal, este tipo de cimento continua sendo impermeável, isolante térmico e à prova de fogo. Além disso, o produto é totalmente reciclável, e ainda, pode ser usado como fertilizante quando as construções são demolidas.

Empresa lançou no mercado o Hempcrete, concreto à base de cânhamo Reprodução / Internet)
Empresa lançou no mercado o Hempcrete, concreto à base de cânhamo (Reprodução / Internet)

 

Leia mais sobre: 

produtos empreendedor cânhamo]