Novo estudo aponta que maconha não reduz QI

Pesquisa foi conduzida por cientistas da Califórnia e acompanhou 2.277 jovens. Cientistas afirmam que não conseguiram evidências de que a erva provoca declínio intelectual

Um novo estudo sobre cannabis e inteligência, divulgado nesta semana, colocou em xeque o resultado de outras duas grandes pesquisas feitas sobre o tema, e que afirmavam que sim, a cannabis poderia provocar redução do Quociente de Inteligência (QI). O estudo mais recente aponta o contrário em diversos quesitos, e, desta forma, acaba com a credibilidade das anteriores.

A pesquisa foi conduzida por cientistas da Universidade do Sul da Califórnia (EUA), e acompanhou 2.277 jovens com idades entre 9 e 20 anos. No estudo, foi encontrada uma correlação entre o uso da droga e mau desempenho em testes de QI. Mas esta ligação, porém, não permite afirmar que a primeira é causa da outra, mas sim que ambas estão ligadas a fatores de confusão mental, afirma Nicholas Jackson, da USC.

Segundo Jackson, é provável que o problema esteja ligado a fatores socioambientais externos que fazem com que os mesmos voluntários desenvolvam menos habilidades cognitivas e ao mesmo tempo exibam tendência a se tornarem usuários de maconha.

Um dos primeiros indicativos para esta conclusão foi que pares de gêmeos com hábitos diferentes no consumo da droga, que participaram da pesquisa, apresentaram resultados diferentes: “Gêmeos usuários de maconha não demonstraram declínio de QI significativamente maior em relação a seus irmãos abstêmios”, escreveram os autores do estudo. Este resultado com gêmeos é importante, pois, teoricamente, os pares apresentam o mesmo DNA.

Durante a nova pesquisa, também se esperava que os usuários de maconha mais frequentes exibissem uma queda de desempenho relativo maior que a dos menos frequentes, mas isso não ocorreu. Não havia relação de “dose-resposta”, afirmam os Jackson e seus colegas.

E o fator mais contundente, dizem os cientistas, foi o temporal. Eles esperavam que os adolescentes usuários de maconha só apresentassem declínio cognitivo depois de começarem a usar a droga, mas muitos deles já estavam abaixo da média antes de começarem a fumar a droga. “Encontramos pouca evidência para sugerir que o uso de maconha na adolescência tenha um efeito direto no declínio intelectual”, escreveram os cientistas.

Fonte: Bem Estar

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *