Sementes de cannabis fazem parte da ajuda dos EUA à Ucrânia

Fibras do caule do cânhamo: sua semente pode ser usada em óleos de alto teor proteico ou para fabricar tinta e plásticos (Reprodução / Exame)
Fibras do caule do cânhamo: sua semente pode ser usada em óleos de alto teor proteico ou para fabricar tinta e plásticos (Reprodução / Exame)

O cânhamo ucraniano não possui o princípio ativo que dá barato nos fumantes e é valorizado pelas aplicações industriais

Publicado na Exame – 26/03/2014

O Departamento de Agricultura dos EUA busca ajudar a economia da Ucrânia reforçando as importações de sementes de cânhamo do país.

O cânhamo — uma variedade de cannabis, ou seja, prima da maconha — ucraniano não possui o princípio ativo que dá barato nos fumantes e é valorizado pelas aplicações comerciais e industriais. A semente de cânhamo pode ser usada em óleos de alto teor proteico ou para fabricar tinta e plásticos.

“Nós estamos concentrados agora em tentar descobrir formas por meio das quais poderíamos ser capazes de usar nos EUA sementes de cânhamo industrial criadas na Ucrânia”, disse o secretário de Agricultura, Tom Vilsack, ontem, em entrevista.

A Ucrânia, uma grande produtora de semente de cânhamo, está buscando ajuda do Fundo Monetário Internacional e de outros países em um momento em que enfrenta dificuldades com uma crise política de quatro meses que culminou com a anexação da Crimeia pela Rússia.

A moeda caiu quase 25 por cento contra o dólar neste ano. A Ucrânia está buscando até US$ 20 bilhões do FMI, que pode anunciar uma decisão ainda hoje.

O presidente dos EUA, Barack Obama, insistiu que a Rússia dê um fim na crise com a Ucrânia ou enfrentará mais sanções, se invadir o leste do país após a anexação da península do sul.

A administração Obama está planejando prover ajuda, incluindo US$ 1 bilhão em garantias de empréstimo, e está trabalhando com aliados europeus em um pacote mais amplo.

Leia a reportagem original clicando aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *